colunas

GURI E PETIÇO
por Daniel Giron Azevedo

Data: terça, 14 de maio de 2019 - Hora: 10:43

"Guri e Petiço é laço e serviço!"
Eis um de nossos ditos populares, ícone do politicamente incorreto, mas é inegável que esta dupla costuma ser propensa a muitas "arteirices, muitas
aventuras e indisciplinas.
Talvez por isso, meu avô precisava usar tantas vezes a sua cinta para me educar quando eu e o petiço nos desentendíamos.

É, eu tive o privilégio de ter sido um guri que cresceu junto de um petiço arteiro, parceiro de grandes aventuras, mas tenho que admitir que ele era um sujeito difícil, empinava, abria porteiras e, é claro, me derrubava diversas vezes de forma inesperada.
Fato é que tudo isso não me incomodava em nada, eu
também não era dos mais fáceis, havia apenas uma atitude dele
que me deixava extremamente abalado, e ele sabia, ah sabia, como
era debochado!

De todas as artes do petiço a que mais me
incomodava era quando ele não me deixava pegá-lo, me fazendo
correr pelo potreiro tomado de raiva atrás dele, que corria de cola
erguida parecendo rir da situação.

Esta cena repetiu-se uma centena de vezes até que eu
conseguisse entendê-la melhor. Nessa situação eu sempre recorria
ao meu avô, que ao observar minha indignação já começava a
retirar sua cinta. Como disse, meu avô nos educou na base da cinta,
com as calças quase caindo ele ia lentamente até o potreiro e
simplesmente colocava a cinta no pescoço do petiço que o seguia
calmamente. Aquilo me intrigava muito, como podia o meu avô se
aproximar do petiço com tanta facilidade? O que será que meu avô
lhe dizia para que ele mudasse tão radicalmente sua atitude? Meu
querido Vô Cora não precisava repreender meus ânimos exaltados,
apenas me entregava o petiço sem dizer qualquer palavra e
continuava com seu passo lento recolocando sua cinta.



Assim era o início das saudosas tardes de aventuras que
trago na lembrança. Hoje sei que habitam ainda em mim: um petiço
arteiro, um guri desejante e um sábio avô, sei também que esta é
uma cena que se atualiza muitas vezes em minha vida, pois sempre
há um petiço ou uma possibilidade que nos abala pelo fato de não
conseguirmos alcançar. Dizem que "a oportunidade é um cavalo
que passa encilhado", no entanto, a experiência mostra que as
oportunidades costumam se apresentar muito mais como um
petiço arteiro e difícil de capturar. Ainda bem que tenho em mim o
semblante de um Avô, representante da sabedoria, e que posso me
servir dela sempre que preciso, sempre que a vida me coloca diante
do grande desafio que é unir desejos e possibilidades.

É amigos, a vida é uma aventura onde os melhores encontros são somente
possíveis com alguns passos calmos de sabedoria.



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!

Sem Artigos do Campo no momento