Notícias

Embrapa Pecuária Sul fomenta o consumo de carne ovina na Expodireto 2019

Data: sexta, 8 de março de 2019 - Hora: 14:18

Embrapa Pecuária Sul fomenta o consumo de carne ovina na Expodireto 2019

Apresentação de cultivares forrageiras e soluções para o controle do capim-annoni também são tema da Unidade na feira

A Embrapa Pecuária Sul estará presente, entre os dias 11 e 15 de março, no município de Não-me-toque, localizado no noroeste gaúcho, na Expodireto Cotrijal, um dos maiores eventos agropecuários do estado. Entre os principais temas abordados no evento pela Unidade da Embrapa está a carne ovina. Além disso, serão levadas à feira alternativas de espécies forrageiras para produção pecuária, por meio de três cultivares de leguminosas e duas cultivares de gramíneas, desenvolvidas pela Embrapa e parceiros. No evento, os visitantes poderão conhecer essas forrageiras em parcelas plantadas no Parque da Expodireto e também amostras no estande da Embrapa. Outra ação é o lançamento do circuito Capim-annoni Tolerância Zero.

Carne ovina na mesa do brasileiro

Uma inovação desta edição será apresentar um conjunto de materiais que propõe desmistificar o consumo de carne ovina, buscando popularizar essa rica proteína na mesa do brasileiro. Fazem parte desse pacote a nova Revista da Embrapa Pecuária Sul intitulada "Carne ovina na mesa do brasileiro", que apresenta o potencial de mercado, bem como iniciativas de organização da cadeia produtiva e tecnologias geradas pela pesquisa, além de opções de cortes e receitas. Na publicação constam também links para vídeos gastronômicos com o preparo de receitas, elaboradas pelos pesquisadores da área de ovinos. A Unidade também apresenta na feira um protótipo de ovelha, com a indicação dos principais cortes ovinos.

Tour Capim-annoni Tolerância Zero

Acontece no dia 12 de março, às 18h, no estande da Grazmec na Expodireto, o evento de lançamento do Tour Capim-annoni Tolerância Zero, com revendedores do aplicador seletivo de herbicida Campo Limpo - máquina de combate ao capim-annoni e outras diversas plantas invasoras que degradam as pastagens. O circuito, uma iniciativa da Embrapa e Grazmec, com parcerias locais, irá percorrer municípios do Rio Grande do Sul com o objetivo de apresentar para produtores rurais a máquina Campo Limpo e outras tecnologias e procedimentos para controle do capim-annoni, constantes no Método Integrado de Recuperação de Pastagens (Mirapasto), desenvolvido pela Embrapa Pecuária Sul. O evento de lançamento do Tour finaliza em uma visita à fábrica da Grazmec.

Cultivares de forrageiras

Já com relação as três cultivares de leguminosas forrageiras, serão apresentadas recomendações de uso e manejo, visando à formação de pastagens cultivadas consorciadas e para sobressemeadura em pastagens naturais na região Sul do Brasil. As cultivares foram desenvolvidas a partir de um convênio firmado entre a Embrapa, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e a Associação Sul-brasileira para o Fomento de Pesquisa em Forrageiras (Sulpasto).

Uma das cultivares que será apresentada é a URS BRS Posteiro de cornichão, recomendada para sobressemeadura em campos naturais e consórcios com gramíneas forrageiras de inverno em áreas mais altas e bem drenadas de toda a região Sul do Brasil. A segunda cultivar, BRS Piquete de trevo-vesiculoso, também é recomendada para áreas mais altas e bem drenadas e por ser anual, pode ser mais facilmente utilizada para compor sistemas de integração lavoura-pecuária.

A terceira cultivar, trevo-branco BRSURS Entrevero, foi selecionada para produção de forragem, apresentando persistência e adaptabilidade geral na região sul do Brasil, sendo recomendada para sobressemeadura em campos naturais e consórcios com gramíneas forrageiras de inverno em áreas mais baixas, planas e com bom teor de umidade.

Também durante a feira, os visitantes poderão conhecer mais detalhes da cultivar BRS Estribo de capim-sudão. A cultivar da gramínea foi lançada comercialmente há seis anos, e está tendo boa aceitação no mercado, sendo uma nova opção de forrageira de verão para os pecuaristas da região Sul. Em experimentos realizados na Embrapa Pecuária Sul, os resultados com animais mostram que esta planta forrageira pode ser utilizada sob pastejo rotacionado e pastejo contínuo, sendo possível alcançar bons índices em termos de produção animal quando bem manejada. Em relação ao capim-sudão comum, a BRS Estribo apresenta uma maior produção de forragem, maior perfilhamento, maior proporção de folhas, ciclo mais longo e manejo flexível.

Outra cultivar que também será apresentada é a Aveia URS F Flete. A forrageira alcança produtividade entre 40 e 60 toneladas de matéria verde de forragem por hectare, o que representa de seis a nove toneladas de matéria seca nessa área. Com resistência a doenças foliares e de colmo, altíssima capacidade de produção de forragem e sementes mais vigorosas, a cultivar se posiciona de forma competitiva no mercado. A forrageira possui uma arrancada muito forte, fazendo com que produza muito mais cedo que as outras.

Fonte: Felipe Rosa/Embrapa Pecuária Sul



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!