colunas

As lidas de campo, errando , acertando...
por Aurélio Casara

Data: terça, 31 de julho de 2018 - Hora: 20:05

Anderson Nunes, História de vida, campeão Dom Arthuro 2018, por Aurélio Casara.

Nascido em agosto de 1982, na Cidade de Quaraí, Rio Grande do Sul, Anderson Nunes, o campeão da Redomão Dom Arthuro 2018, categoria Redomão de 21 dias, começou a sua trajetória com cavalos desde os 03 (três) anos de idade, por influencia de seu pai, seu Telmo Nunes, Capataz de Estância na Fronteira com o Uruguai, que mesmo com pouca idade já levava Anderson para as Lidas e as recorridas de campo.

Nas folgas do serviço da fazenda e nos finais de semana, seu Telmo, homem muito tradicionalista, gostava de ir a Rodeios, lazer comum para a Gauchada trabalhadora rural no interior do estado, as modalidades que se sobressaiam eram a Prova de Baliza, de Tambor e a Antiga "Equino Latina". Com 5 anos então, Anderson ganha a sua primeira prova de Baliza, Foi o início das vitórias nas provas a cavalo, depois disso, outras se seguiram, mais de 200 para ser mais exato, em toda a extensão da Fronteira, Santana do Livramento, Alegrete, Uruguaiana, Barrado Quaraí, até mesmo em Artigas no Uruguai foi participar destas provas, levado e incentivado pelo "seu Telmo".

Em um determinado rodeio, isso já com 15 anos de idade, e uma carreira vitoriosa nas provas regionais, Anderson vai até um Remate, onde apresentando um dos cavalos entra um então o Ginete competidor do Freio de Ouro, e hoje médico veterinário Ronald Quadros, que por sua vez, fez "coisas" desconhecidas até então para Anderson, volta sobre pata, pequenos esbarros, manobras sem a embocadura, enfim, nasceu daí a curiosidade de saber e conhecer esta nova modalidade de Prova e este novo método de doma, treinamento e apresentação, além de uma grande amizade que dura até hoje.

"Nas conversas que temos hoje, eu digo, Tchê Ronald, tu foste um dos grandes incentivadores para eu estar onde eu estou hoje, pois se eu não tivesse visto e acompanhado tudo aquilo que tu mostrou com o teu cavalo, naquele remate, eu não teria me interessado por esta modalidade, e por ser de cidade pequena, com cabeça pequena e com sonhos pequenos, eu, tinha apenas o sonho pequeno de ser capataz de Estância assim como meu Pai era, e disse a ele, que um dia eu iria correr o Freio de Ouro e que gostaria de viver dessa prova, então me incentivando ele disse para correr atrás do sonho, mas eu não sentia que era do fundo do coração, que não era de verdade, pois como peões de Estância, não poderíamos ter as condições necessárias para chegar além da vida que tínhamos na época, mesmo assim , não aceitei isso, e fui atrás do conhecimento, aprendendo com os próprios cavalos do serviço, tentando treinar escondido entre as lidas de campo, errando , acertando, construindo ali, o começo do meu sonho, por isso, eu te agradeço meu amigo Ronald"

E assim foi, mudando de Estância, mas sempre em busca do mesmo sonho, Anderson aprende a Domar, e partir disso recebe uma oportunidade de aprender mais, se agarra e aproveita essa oportunidade ao ponto de montar então seu Próprio Centro de Treinamento, e lá se vão mais de 10 anos, e nessa jornada, uma importante companheira se junta à equipe, Eliane, sua esposa, pessoa responsável por grandes mudanças na vida e no futuro de Anderson, como já diz o conhecido ditado, que, um grande homem possui ao seu lado uma grande mulher, assim se escreveu mais esta página no livro da sua história.

Parceira na vida e nos negócios montam juntos a Cabanha Dom Oscar, paralelamente com o Centro de Treinamento, dentre as mães da Cabanha, se destaca uma, Azucena Cala Bassa, égua que correu e foi credenciada em algumas ocasiões, pelo próprio Anderson, responsável por muitas alegrias funcionais, o primeiro troféu como ginete destaque foi nela montado.
A história do potro, filho de Azucena, Comendador da Dom Oscar, ganhador da Dom Arthuro 2018, se confunde com a história de outro Comendador.
No dia do Nascimento do Comendador da Dom Oscar em meados de Janeiro de 2015, Anderson se sagra Campeão da prova Dom Alberto bem domado, categoria de ano de Freio, com o cavalo Comendador 21 Nombrado, chegando em casa, seu "Bibelô" como carinhosamente chama Azucena Cala Bassa, esta recém-parida, desta feita de Macho, então por homenagem ao cavalo que a pouco se sagrara campeão, seu nome fica Comendador da Dom Oscar, Coincidência ou não também se torna ganhador de um carro 0 km em uma prova de doma, o segundo na carreira de Anderson, o segundo com um cavalo chamado Comendador.

Falando na alegria da vitória, ela não veio apenas como Ginete ou domador, mas também como Criador do Potro, vitória tripla, o que torna o feito ainda mais importante, pois este disputou com mais de 220 potros de todo o Brasil, e contra grandes cabanas e Anderson, contra grandes Ginetes, muitos deles já Freios de Ouro.

Comendador da Dom oscar, na sua doma, nunca mostrou nenhuma fraqueza, nenhuma dificuldade nos ensinamentos durante todo tempo, sempre foi um potro de acordo com que se pedia, de fácil entendimento e facilidades de movimento, muito sujeito, disposto e vigoroso, tanto que, o término do seu "treinamento" para prova, se deu no parque de Esteio no dia anterior à competição, pois a idéia era que o potro não chegasse "passado" no dia de entrar em pista tamanho era o Grau de confiança de Anderson no seu animal.
E assim se viu já no primeiro dia, o último potro do dia a passar, Box numero 200 entra em pista e já percebe uma grande conjunção entre cavalo e cavaleiro, tanto que aquela altura chovia e fazia frio em Esteio, passava das 23h30min e mesmo assim levantou o publico presente com a sua performance, terminando a prova naquele dia em primeiro lugar.

Nos dias subsequentes houveram alternâncias de posições, grandes potros com grandes ginetes , tomaram a dianteira, mas Comendador manteve sua regularidade e a conjunção com Anderson, chegando assim ao lugar mais importante do pódio mais uma vez.

"Eu posso dizer hoje que sou uma pessoa realizada nos meus objetivos, pois com o fruto do meu trabalho venho alcançando as metas que um dia sonhei, sendo ganhador de grandes provas, com grande feitos e correndo o Freio de Ouro, obrigado a todos que estiveram juntos nesta jornada e a minha esposa, por estar sempre presente". (Anderson Nunes).



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!