#vidadocampo

Notícias

Notícias do Campo

Criadores de Angus fundam Confederação Latino-americana
Criadores de Angus da Argentina, Brasil, Colômbia, México, Uruguai e Paraguai reuniram-se em uma nova entidade que representará os interesses da raça em nível internacional. É a Confederação Latino-americana de Países Produtores de Angus (Colappa), criada em encontro esta semana em Bueno Aires. A ação foi anunciada pelo presidente da Associação Brasileira de Angus, José Roberto Pires Weber, durante assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (14/12), em Porto Alegre. Entre as missões da nova confederação está o fortalecimento do livre comércio de genética entre os países membros e a homologação e integração de registros. Durante a assembleia, Weber ainda apresentou balanço das ações realizadas em 2017, que incluíram aumento no número de sócios e expansão do Programa Carne Angus. Também lembrou de projetos implementados para aproximação com os núcleos regionais como ação em exposições e o Circuito Touro Angus Registrado. Weber mencionou a redução no número de animais participantes de exposições em 2017, o que classifica como um movimento geral do setor. A exceção foi a Expolages (SC), que teve aumento de participação. “Há contenção de despesas de modo geral”, sinalizou o presidente da Angus. Carne Angus – Durante a reunião, o diretor do Programa Carne Angus, Reynaldo Salvador, destacou o aumento da demanda de redes de food service e do varejo por cortes Angus. Em 2017, o volume de carne produzido cresceu 18%, boa parte embalado a vácuo. “Os cortes de dianteiro ganharam o mercado gourmet e o que antes virava hambúrguer agora é comercializado embalado à vácuo”, explicou o gerente do Carne Angus, Fábio Medeiros. Entre os estados, destaque para Goiás, que abate 26% da carne Angus produzida no Brasil. Fonte: Associação Brasileira de Angus

Criadores de Angus fundam Confederao Latino-americana

Histórias de Vida

A Vida no campo como ela é.

De pai pra filho !!! (parte II)
Quando duas pessoas estão destinadas a estar juntas, pode ter certeza, que alguma coisa acontecera, ou alguma pessoa intercedera para que isso aconteça. E assim foi, que uma certa pessoa, convida Claudio Ruas para fazer uma visita "cualquer" de fim de semana, e é daí que surge um casal, que deles, nasceria um jinete diferente, um jinete pra fazer história. Eles são Claudio Ruas e Cristiane Rodrigues, se conhecem faz 22 anos, e faz 18 que são acompanhados pelo Gustavo Ruas, filho do casal, junto com o casula Guilherme. Claudio, um homem sempre de campo, não poderia sair diferente "a cria". Nem bem nasceu o Gustavo, ele já pegou o gostinho, gostinho pelo campo, mas sobre tudo, gosto pelos cavalos; recebendo assim sempre presentes que tinham que ver com o assunto. Assunto que na vida de Gustavo, tem muito pra falar, se emocionar... Antes de ter cavalos, mas ao mesmo tempo já tendo, o Gustavo, muito engenhoso, montou uma cabanha de cavalos de Pau. É! Assim como vocês estão lendo. E todos os dias na hora do chimarrão tinha prova, era hora de apresentar os cavalos aos jurados que eram os pais. Cristiane sempre dava 10, agora o Claudio, dava 9 em algum que outro, e o Gustavo no outro dia voltava lá com seu cavalo 9, pra ver se tinha melhorado! O foco tem que começar desde cedo! Mas, era hora de deixar os cavalinhos de pau, e ter um de verdade. Seu primeiro cavalo, Cartucho Tupambaê, presente do Oswaldo Pons. Cartucho, o cavalo rosilho, foi quem ensinou a andar a cavalo ao Gustavo com apenas 3 anos, ensinou de uma maneira diferente, já que pro casula não cair, o pai botava uma cordinha no cinto. Lembranças boas, que merecem ser lembradas. Mas a história do Cartucho não termina por aí... o cavalo, era o bichinho de estimação de Gustavo, pra onde eles iam, o cavalo ia junto. O assunto era não separar a dupla! O tempo passou, o gosto pelo cavalo só crescia, e o incentivo dos pais nunca faltou. E então, Gustavo, com 7 anos, estreia nas pistas, competindo o laço em um CTG de uma vaca parada, obtendo o segundo lugar. Nada mal pra começar né? O troféu, ele guarda até agora, como lembrança pra nunca ser esquecida. 8,9,10 anos... os anos foram passando, a paixão aumentando, e a vontade por aprender, por se superar, era o que mais o menino tinha, pois o exemplo estava em casa, para o Gustavo, até hoje, seu maior exemplo, e o pai, quem além de ensinar, corregir, está sempre aí, pra dar aquele abraço apertado quando as coisas não vão bem, e dar aquele grito, quando a vitória tá batendo a porta. Vitoria batendo a porta é o resultado, do compromiso que o Gustavo tem pelo que faz. Então, os resultados começam a vir. São vários os Redomões que tem ganhado, provas de diversos tipos, entre elas, ganhador de freio jovem. Mais ele confessa, que prova especial, foi quando ganhou a prova Don Arturo, não quitando brilho as outras, pois ele nos diz, que todas são especiais, que de todas tira um aprendizado, já seja ganhando ou perdendo. E é ganhando ou perdendo, que a equipe do CT Ruas, sempre está aí, para apoiá-lo, equipe de mãe, irmão, pai, e amigos. Gustavo hoje de 19 anos, um menino segundo a mãe, "que tem que estar correndo atrás das palavras, pra saber como e que está tudo", mais que é o orgulho da família, com seu jeito humilde, carinhoso, e tranquilo. Ganhando, perdendo ou com susto de por meio, o rapaz nunca perde o compromiso, foi assim, que a mãe nos conta, que numa mau jogada da sorte, o jinete cai desmaiado e tem que ser socorrido por uma ambulância, e dentro dela, surge a pergunta: "Mãe, eu perdi?" Mas... Pra ele, todos os cavalos são uma história, todos os cavalos são uma conquista. Alguns mais especiais que outros, alguns mais manhosos que outros, mais nada quita, a paixão pelo que ele faz, paixão que ele diz hoje, que é o que quer, pro resto da sua vida. Sonhar? Claro, Gustavo tem muitos sonhos junto a eles, junto a esses bichos de quatro patas, que fazem ele vibrar, fazem ele ficar nervoso, mais sobre todas as coisas, cada dia que passa, fazem ele acreditar, ter foco, e seguir sonhando. Sonhos do Gustavo, que hoje se tornam os dos pais. Porque pra eles, se realizando os filhos, eles já estão pra lá de realizados. Sonhos que pra o Gustavo hoje, estão batendo a porta, que estão dizendo: cara, você está perto... não desista! E foi não desistindo, acreditando, que o ano de 2017 veio com tudo, pra surpreender todos, e sob tudo, surpreender o guriazinho que andava de corda no cavalo com 3 anos... Mais isso, você descobre, no terceiro capítulo, que está imperdível!

De pai pra filho !!! (parte II)

Atravessando Fronteiras

Colunas Internacionais

José Gustavo Prenna, "o Gringo"
Eco É o fenômeno acústico que ocorre quando as ondas atingem outro objeto e retornam ao local onde foi emitido. Eu acho que quem conhecia José Gustavo Prenna, "o Gringo", como ele é conhecido em nosso ambiente crioulista, será capaz de compreender claramente o que quero dizer. Nascido em Rosario, em 15 de abril de 1962, filho de Elbio e Elsa. Casado com Andrea, há 29 anos, tiveram dois filhos, Gonzalo (28) e Francisco (26), que compartilham a mesma paixão, como não poderia ser, os crioulos. Seu pai tinha uma grande quantidade de cavalos em geral que costumavam trabalhar nas feiras da área, com a fazenda. Isso o orientava para a atividade com o cavalo crioulo. Foi em 1977 que em um leilão em Palermo ele adquiriu seu primeiro garanhão crioulo. Cherape Mazorquero, que eu trabalho, até que eu pudesse executá-lo e tive a satisfação de chegar a Palermo, correndo em rodeios. No mesmo ano, ele corre pela primeira vez em Yunta com Martín Crespo, em Sepulturas Altanero. Um dia antes dos 15 anos de idade. Corra sem interrupções até hoje. Ele estava sempre levantando e trabalhando seus cavalos. Tendo a sorte de correr em Palermo com éguas como Retama e Rastrillada, criadas por ele. Duas finalistas. Outras éguas com as quais cheguei às semifinais foram Costera e Patron. Há um ponto que é fundamental para a vida do Gringo, que é o que sembrou com a passagem das touradas. Ele ganhou grandes amigos e muitas pessoas que o apreciam. Ele teve a sorte de correr em Palermo com excelentes amigos. Assim como Francisco Maidagan e Pedro Torres. Com este último, uma brava equipe de duas éguas negras, Cotorrita e Flor e Truco Retama, mais um ano juntaram-se com o Caembae Laucha. Mas ao longo dos anos ele teve vários companheiros; Francisco Maidagan, Pedro Torres, Martin Crespo, Adrian Vidalle, Martin Corvalan, Luciano Trangoni, seus filhos Francisco e Gonzalo. Além do seu irmão Elbio. Ele tem sido o mentor de muitas crianças e grandes cavaleiros como Adrián Vasino, Ivan Artigas e Damián Cristaldo. Houve um tempo em que Rosario tinha uma propriedade na Sociedade Rural que era uma versão abreviada de Palermo. As finais foram jogadas lá, e ótimas exposições. Devido a eventos infelizes que a propriedade foi perdida. Perto da cidade de Rosario, a exposição mudou-se para La Reyuna, esse é o nome do lugar que sua família tem. Anteriormente, era uma feira de gado, que pertencia ao seu pai. Ele estava preparando para 9 edições da Rosario Expo, como passaporte. Sempre com esforço e empurre não só dele, seus filhos, sua esposa. Com os amigos, ele foi colhendo ao longo de sua vida. A propriedade tem as instalações necessárias para abrigar uma exposição, bem como uma credencial de freio de ouro, que durante vários anos foi realizada lá. Ou reins ou classificações de rodeios. Com o qual ele não só foi um mentor para muitos amigos começam na atividade equestre. Diretamente, ensinando, diz quem o conhece bem, que tem uma didática "especial" e muito eficaz. Ele foi um promotor da corrida com a fazenda da família, que foi condicionada até atingir o que é hoje. Também reunião e torrefação com amigos, onde o tema da conversa não pode ser diferente de ... Os crioulos... Eu acho que ter lutado novamente para estar na semifinal com seu filho Francisco em Batelero y Flor e Truco Vidalita é um ótimo prêmio para um criollista e um grande promotor da corrida. Corredor corajoso, querido amigo, tudo o que ele fez voltou em carinho. Como o efeito de eco que se espalha e depois retorna Fotos: arquivos

Jos Gustavo Prenna,

O Veterinário

Sanidade animal

Contraste da aplicação de Medicina Esportiva nos Cavalos Crioulos.
(Importância e relevância no meio esportivo - Freio de Ouro) Atualmente observa-se que a raça equina crioula vive em constante mudança na busca da melhor performance . Percebe-se que a raça tenta enquadrar-se cada vez mais aos padrões deportivos equestres em todos os sentidos agregando novidades e avanços como por exemplo exames anti dopagem, checagem clinica , cuidados com a integridade animal em geral entre outras .. A meu ver tudo isso corresponde ao avanço natural das atividades conforme a necessidade e adaptação ao que acredita-se hoje ser o melhor para a integridade dos atletas e consequentemente do esporte, porém entendo que existe um tabu a ser vencido assim como assimilado de um esporte que de certa forma é novo assim como sua cultura caracterizada por condutas tradicionalistas as quais , de certa forma, não esperavam tantas mudanças no âmbito deportivo . Quando digo tabu , refiro-me a necessidade que a raça tem de tentar transformar uma prova cujo objetivo caracteriza a melhoramento genético porém deve adaptar-se a moldes deportivos mudando assim muitas situações as quais a pouco tempo nao se imaginava ou se estava preparado. Refiro-me por exemplo a um treinador ("ginete"), ao qual hoje deve pensar não só na conduta do treinamento mas também em grande cuidado com a integridade de seu animal desde a alimentação e manejo até mesmo a proteção dos mesmos para que possam chegar íntegros as competições . De certa forma e por obviedade em tempos mais antigos acredito que a preocupação com os animais existia porém não tão aprimorada como acontece hoje, onde os treinadores preparam-se cada vez mais na busca de informações para o que acredita-se ser o melhor para o cavalo.. Contudo também torna-se realidade a preocupação com o tratamento dos atletas (equinos) através da busca de profissionais da área (veterinários) aos quais preparam e desenvolvem projetos de manejo para os animais no sentido de proporcionar os melhores padrões de saúde e integridade aos mesmos .. Então vejo que o mundo do cavalo crioulo de Freio de Ouro já a algum tempo abre mercados como a Medicina Esportiva e gera uma cultura profissional por parte dos treinadores e cada vez mais por criadores, aos quais também fomentam o desenvolvimento da raça e assim enquadram e aprimoram um modelo de prova cujo ganha cada vez mais espaço no senário equestre tornando-se desta forma um espetáculo mais profissional e mais bonito ...

Contraste da aplicao de Medicina Esportiva nos Cavalos Crioulos.

Bem estar Animal

A vida do campo

Mapa oficializa medidas para apoiar a saúde animal
Quatro atos normativos sobre saúde animal foram assinados nessa segunda-feira (4), em Belém do Pará, por Luís Rangel, Secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Foi apresentado também o aplicativo Saúde Animal, que possibilita informar mais rapidamente a ocorrência de doenças às autoridades sanitárias. Entre as medidas estão as Instruções Normativas (IN) da prevenção, controle e erradicação do mormo, do uso de vacinas vivas atenuadas contra salmonela paratífica em aves matrizes, o acordo de cooperação técnica entre o Mapa e o Conselho Federal de Medicina Veterinária, e a portaria que define as diretrizes para a compartimentação da cadeia produtiva de suínos no Brasil. IN do mormo A normatização para a prevenção, controle e erradicação do mormo, doença de caráter zoonótico que atinge os equídeos, visa promover a sanidade do plantel principalmente em relação ao risco de disseminação da doença em todo o território nacional. Entre as normas estão as regras para o trânsito de equídeos, atualização das técnicas de diagnóstico com maior sensibilidade e especificidade, inclusão de parâmetros que respaldem a elaboração de planos voltados ao conhecimento da prevalência da doença nos estados brasileiros e definições de casos suspeitos e confirmados. IN vacinas vivas atenuantes contra salmonela em aves matrizes Esta norma altera a Instrução Normativa SDA 78/2003, incluindo o uso de vacinas vivas para salmonelas paratíficas em aves matrizes, a fim de prevenir e reduzir a colonização intestinal e de órgãos com o patógeno Salmonella (S.). Produtos avícolas, ovos e carne, são importantes fontes de salmonelas nas infecções alimentares em humanos, sendo considerado um grande desafio à saúde pública. Acordo de Cooperação Mapa-Conselho de Medicina Veterinária Foi estabelecido Acordo de Cooperação técnica entre o Ministério da Agricultura e o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) para o desenvolvimento de Plano de Educação Continuada em defesa sanitária animal, tanto para os profissionais médicos veterinários do serviço oficial quanto os da área privada. Com vigência de quatro anos, o acordo prevê a realização de eventos que divulguem estudos e pesquisas sobre defesa sanitária animal, cursos e treinamentos específicos. Compartimentação da cadeia produtiva de suínos A norma define diretrizes para a compartimentação da cadeia produtiva de suínos para Febre Aftosa e Peste Suína Clássica. As empresas interessadas poderão solicitar, em caráter voluntário, a obtenção da certificação sanitária de compartimento livre das doenças. A compartimentação é um conceito definido pela OIE, a fim de certificar uma subpopulação animal com status sanitário diferenciado para uma ou mais doenças específicas, baseado em procedimentos de biosseguridade e vigilância, e não em zonas ou regiões territoriais. Esse sistema oferece garantias adicionais, pois favorece a oferta de produtos suínos e o comércio seguro entre os países, ainda que ocorram eventuais surtos das doenças no país. Aplicativo Saúde Animal O aplicativo Saúde Animal é destinado a veterinários, produtores e pessoas interessadas em saúde e bem-estar animal. De forma ágil e interativa, permite fácil acesso aos conhecimentos e informações da saúde animal. Entre suas funcionalidades destacam-se a possibilidade de enviar notificações sobre suspeitas de ocorrência de doenças às autoridades sanitárias, o acesso a manuais, legislações federais e estaduais, regras nacionais e internacionais de comércio de animais e produtos derivados, aos códigos sanitários da OIE. O aplicativo permite também consultas sobre questões relacionadas ao tema saúde e bem-estar animal a uma atendente virtual por meio de áudio e texto, em português, inglês e espanhol. O aplicativo pode ser baixado pelo play store ou app store. imprensa@agricultura.gov.br

Mapa oficializa medidas para apoiar a sade animal
Camineira