colunas

Fisioterapia o que é.
por Natascha Davids Moreira Abascal

Data: quinta, 7 de dezembro de 2017 - Hora: 11:43


Fisioterapia é a ciência que estuda, diagnostica, previne e recupera pacientes com distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas. Trabalha com doenças geradas por alterações genéticas, traumas ou enfermidades adquiridas.

O objetivo desta área é preservar, manter, desenvolver ou restaurar (reabilitação) a integridade de órgãos, sistemas ou funções. Utiliza-se de conhecimento e recursos próprios como parte do processo terapêutico nas condições psico-físico-social para promover melhoria de qualidade de vida dos animais.
Nas últimas quatro décadas, por diversas razões, os equinos têm-se tornado extremamente importantes para as pessoas, posto que podem ser um parceiro nas atividades esportivas e até um suporte financeiro. Os equinos também ocupam lugar na vida de muitas pessoas, como um amigo exclusivo e companheiro. Por isso, a saúde e a integridade desses animais são muito importantes (MELO et al., 2006). O desempenho de atividade física intensa e estressante predispõe os equinos a afecções do aparelho locomotor. As forças mecânicas geradas durante o exercício atuam sobre o sistema locomotor levando ao desenvolvimento de lesões. A fadiga, as anormalidades de conformação, as condições inadequadas do local de treinamento do animal, cavalos exercitados com bandagens inelásticas ou excessivamente apertadas e traumatismos são fatores predisponentes relacionados às lesões induzidas pelo exercício (CAETANO & SOUZA, 2004; MARANHÃO et al. 2006).
A fisioterapia pode ser empregada no tratamento da maioria dos casos que envolvem o sistema locomotor do eqüino, sendo de grande valia na reabilitação de atletas. Atua localmente utilizando técnicas manuais e aparelhos emissores de ondas (PORTER, 1998).
Para que a fisioterapia atinja seus objetivos, sua conduta deve ser rigorosamente elaborada de acordo com o atual quadro patológico do paciente, quando se determinará o protocolo de tratamento. É importante estipular um protocolo de tratamento inicial, porém esse pode ser alterado a qualquer momento de acordo com as necessidades do paciente (VEENMAN, 2006)
Algumas técnicas, como a hidroterapia, ondas de choque (“shockwave”), ultrasom terapêutico, laser terapêutico, eletroterapia, termoterapia e acupuntura, podem ser usadas com sucesso. Também são envolvidos princípios como alongamento, massagem e quiropraxia (DORNBUSCH et al., 2007, PERRELLI & PALHARES, 2002; VEENMAN, 2006).
Em um próximo texto adentramos nestas modalidades, explicando cada um de seus benefícios e contra indicações.

Foto: arquivo



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!