Histórias de Vida

A vida de um campeão...

Data: domingo, 3 de dezembro de 2017 - Hora: 12:45

Um campeão, Santa Isabel Talento.

Santa Isabel Talento Nº 117335, sorvete de potro, nascido em outubro de 1991. Filho de Taco (Rigor) e Que Luna para Borracho no domingo e Endemoniá por Rigor.
A mãe do Talento, a égua de que Luna, era um muito bom colorado de vacas, corajosas e atajadoras, de boa estrutura e equilíbrio, qualidades que herdavam sua prole, onde você pode encontrar os Campeões do Chile, Batuco e Talento, além de de cavalos muito valiosos como corraleros, de ótimas morfologias e reprodutores como o Tiento, esperado, é tão bom, Fantasioso, Coqueta, entre outros. Seu avô materno, o drunkard no domingo, era um cavalo de baía, de boa rotação, muito adornado com tufos de prata que o tornavam muito impressionante, de grande campanha de corralaria e performances muito boas na área de Osorno e os campeonatos nacionais. Ele sempre se destacou por sua velocidade e agilidade nas bandeiras, ele sempre entrou da frente e deixou o amontoado a toda velocidade, para culminar em um ataque franco e violento. Ele não tinha um romano, ele iria parar o touro que foi colocado na frente dele. Por outro lado, sua avó materna Endemoniá era uma bela egua de baía, filha da famosa Berlina, grande e longa, de grande selo racial. Com um grande temperamento, de acordo com seu arranjador Gustavo "Tavin" Rey, que o descreveu como "andando em um potro". Ele fez seu colar com o Chamanto, demonstrando o seu valor, poder e excelente qualidade de vaqueiro. Como mãe, ela era uma grande reprodução, onde além de Que Luna, ela deu Onofre, La Secretada, Chinita, El Diantre, entre outros.
A história do Talento começa muito antes do nascimento. Seu pai Taco chegou a Ñilque em 1968 por 7 anos e foi um curto período de tempo, Burlesca, Comadre e Baquiano. Em 1984, sob recomendação de Sergio "Checho" Tamayo, trabalhando em Santa Elba naquela época, ele disse a Eduardo Epple que o Taco, já com 25 anos, não estava usando e "talvez eles vendessem" e então o jovem sabendo que o potro já era muito velho e doente, ele corre riscos e concorda com Don Ramón, comprando Taco. Nas condições que eram o garanhão, quase despejados o levaram com poucas ilusões de que o jugo voltou à fazenda em Puyehue, eles também concordaram que, se ele morresse ou não grávidas, qualquer égua que Eduardo escolheria um filho em Santa Elba. O potro veio para o sul e, assim, foi uma semana na manjedoura, mas com grande dedicação e amor recuperado e poderia criar mais de 22 filhos, incluindo o Talento que nasceu quando seu pai tinha 31 anos.
Naqueles anos, o Santa Isabel Criadero estava na busca para abrir as linhas para o famoso e famoso Coro. O administrador do Cattery Santa Isabel na época, Don Benjamín García-Huidobro Conta; "Precisávamos de um cavalo que não tivesse nada para fazer diretamente com Chorus, e foi depois de conversar com Don Agustín, sugeri a Sergio Epple que fizemos uma parceria na qual ele contribuiu com o Taco e com quatro éguas, Esbelta, Aquela Luna, Esmeralda e Escondida, mas que escolhi antecipadamente dois descendentes da égua para a criação. Foi assim que o bezerro esbelto foi escolhido, que nasceu um macho cor de lama e a ninhada de Que Luna, que era um azeda masculina, agora conhecido como Talento. La Escondida pario, a única mulher e a Esmeralda, um potro de sorrel por Sergio Epple, o Tapón, o potro do Slender que era uma pintura fofa foi comido por um puma no campo do sul. Foi assim que perguntei a Sergio Epple que me vendesse a potra de La Escondida, que é La Tacaña.
O talento foi criado ao pé de sua mãe na fazenda El Carmen até a cordilheira de Rancagua e mais tarde desmamou para Graneros para Santa Isabel. Manuel Castro nos diz como cuidar do incubatório, que recebeu o talento por seis meses que o pequeno potro era um diabo, não era fácil de lidar, não gostava muito quando o levaram no início, especialmente quando estavam despalmarlo, e ele usou a mão e uma pequena mordida caiu nas costas Como um jogo, não era fácil entrar nos estábulos para sair, mas pouco a pouco foi entregue e alguns meses depois era completamente manso e dócil.
Eles dizem que novamente não era muito chamativo e até catalogado como "feio", ele passou seus primeiros anos sem problemas, embora ele sempre provasse ser um potro inteligente com personalidade. Foi roubado por Raúl Becerra que teve por 6 meses e conta:
"Talento era um potro muito feio novamente. Ele sempre foi muito manso e dócil, mostrou-se no ataque desde o início, embora tenha sido notável outro tipo de cavalo para o Coro, chamou a atenção desde o início ".
Após a amansa, Don Jesus Rodriguez trabalhou, o que o iniciou nos primeiros passos do arranjo e depois passou nas mãos do grande cavaleiro e arranjador Eduardo "Lalo" Tamayo. Depois de começar seus primeiros passos na disciplina, ele foi para o sul, onde conheceu o cavaleiro da sociedade que fez história, Juan Carlos Loaiza. Ele o recebe batendo e trabalha em sua casa em Metrenco-Temuco. Este grande piloto conta em uma entrevista: "Eu recebi isso aos 4 anos e o potro veio batendo e era um lenço como as novas cabras, osse é um gawky, um pouco longo, mas, como o Papayero, vi algo semelhante. Lembro que a mesma mancha apareceu e continuei trabalhando. No começo, estava um pouco confuso, com seu caráter dominante e, felizmente, não estava errado. Nós dois tivemos a sorte de conhecer, tive paciência, nos entendemos, nunca tivemos problemas e, apesar do seu gênio, nunca tive que recorrer à força para o trabalho, somos amigos do potro ", ele acrescenta:" Ser um cavalo muito fácil tem seu personagem, então é um cavalo que tem que estar muito pronto, estar em cima dele, para que ele esteja bem ". O resto já é história, cavalo de classificação, 3 vezes Campeão do Chile, juntos alcançaram a glória destinada a eles. O cavaleiro foi montado por um grande cavaleiro como Juan Carlos Loaiza, o que é lógico para alcançar um desempenho tão alto, um crack em outro crack, como sempre deve ser, nunca devemos esquecer o referido corralero "sem um cavalo, não há cavaleiro".
Deve-se notar que Talent tocou ao vivo na mesma época dos filhos do Coro da Raça e em sua própria casa, e nessas difíceis circunstâncias competitivas brilharam com sua própria luz e também deram grande prestígio ao pai e à gata.
Talento era um cavalo de cowboy excepcional, sem dúvida um dos "melhores de todos os tempos". Não me lembro de vê-lo recusar-se a parar, soltar-se na quadra, certo, não querer, ou ir ao chão. Pelo contrário, tudo restava, raça, temperamento, desejo, postura, e ao enfrentar muitas vezes foi deixado ao lado, mas controlado, não saltou ou puxou para longe, sempre sentado nas pernas, com um galop longo e medido, boa boca e fechado, muito bem arrumado.
Como era um cavalo grande e longo, seus batidas pareciam lentos, mas nunca deixaram atrás um novilho, pelo contrário, ficaram na pista, nunca deixaram o amontoado.
Uma característica que sempre chamou minha atenção foi o caminho de Talento, "como uma pomba", muito típico da pura raça; Isso está avançando com a cabeça balançando, para outro ritmo de mãos e pernas, o que junto com a elevação dos joelhos é um sinal de extrema pureza racial. Seu antepassado El Quebrado era assim caminhando e também seus filhos diretos.
Foi uma coincidência afortunada que ele nasceu em Santa Isabel e teve tudo a seu favor para realizar este sonho aplaudido por todos, muitos outros cavalos não têm essa oportunidade e estão perdidos. Nobre e honrando seu nome, um verdadeiro "Talento" encantou todos os fãs durante os mais de 10 anos que ele estava em competição, deixando uma lembrança indelével para aqueles que o viram correr.
De acordo com o seu piloto e eterno companheiro Juan Carlos Loaiza "Na última temporada (2007), este potro atingiu uma maturidade excepcional, ao ponto que me deu toda a segurança, não há problema. Eu entrei na cabana com a segurança que eu iria enfrentar, seja duas ou três, eu não sei, mas eu sabia que isso não iria falhar em mim. Ele é sincero. Além disso, isso é longevo, é um potro que mostrou que leva seus anos e isso, assim como ainda é uma corda por um tempo porque é absolutamente saudável, com todos os desejos. É um potro! " Escusado será dizer que essa qualidade foi demonstrada até a última rodada que correu em sua vida. O talento foi removido das canetas mãos e pernas completamente saudáveis, outro grande valor da raça e nunca decaído, realmente ótimo.
 Sua campanha nos currais:
- Seu primeiro rodeio ganhou em Rio Bueno em 1996, acollerado com o juiz Raudal, filho de Ratero em Domingo na Esperança (Coro e Cachita) montado por Juan Carlos Loayza e Alberto Yáñez.
- Em 1997, em coleira com Escándalo, um filho de Estribillo em Ociosa por Ñipan e Clementina, montado por Juan Carlos Loaiza e Ricardo de la Fuente, obteve o 4º animal em Valdivia; 3º campeão em Paillaco; 3º campeão da Mariquina; 2º campeão em Melipeuco.
- Em 1998, o 4º animal foi inserido no Futrono; 1º campeão em Temuco; 2º campeão em Pitrufquen; Ele foi um Finalista no Qualificador Osorno.
- Em 1999 entrei no 4º animal no Rio Bueno; No qualificador de Osorno entrou no 4º animal.
- No ano 2000, entrou no 4º animal em Los Lagos; Foi o terceiro campeão em Futrono; Campeão do Chile em colar com Scorpion, filho de Chorus in List by Ingrate and Trickster de Tranquero, com 40 pontos, montado por Juan Carlos Loaiza e Eduardo Tamayo.
- Em 2001 ganhou o primeiro campeão Futrono com 36 pontos; executou o Final no Bio Bio Qualifier.
- Em 2002 entrou no 4º animal em Futrono; Campeão do Chile em coleira com Almond, filha de Scorpion em Ricachona por Quillacon III, com 36 pontos, montado por Juan Carlos Loaiza e Eduardo Tamayo.
- Em 2003, ele ficou em 3ª série de reprodução mista na Classificação de Valdivia. No National venceu a série Mixed-hatchery com 39 pontos. Ele entrou no 4º animal na Série dos Campeões.
- Em 2004 ele ganhou o 1º campeão em Rengo; 2º campeão em Futrono; 2º campeão em Osorno; 3º campeão em Rengo; 1º campeão em La Union. Na Classificação de Los Angeles, ganho a 1ª Série Livre A; entrou no 4º animal na Série dos Campeões; na série National won Mixed-hatchery com 39 pontos.
- Em 2005 entrou no 4º animal em La Unión; 1º campeão em Paillaco; 1º Campeão Zonal de Vilcun; 3º campeão Futrono. Na Bio Bio Classification obteve o 3º lugar na série Mixed-Breeding.
- Em 2006 foi terceiro campeão em Futrono; entrou no 4º animal em Paillaco; 3º campeão em Lanco; Na Classificação de Concepção ganhou a série de Colts, e foi Campeão do mesmo qualificador.
- Em 2007 ganhou o 1º campeão em Los Lagos; 1º campeão em Futrono; 3º campeão em Valdivia. Em Clasificatorio de Osorno foi 2º na série Mixta-criaderos. No Nacional foi 1º em séries de reprodução mista com 35 pontos. Campeão do Chile em colera com Fiestera, filha de Escorpión em Cachita por Ñipan e Naranjerita, com 38 pontos, montado por Juan Carlos Loaiza e Eduardo Tamayo.
- Em 2008, ele entrou no 4º animal na Série do Campeonato Nacional.
- Em 2009, eleito 3º na 1ª B livre B no Qualificador de Cautín; entrou no 4º animal na Série dos Campeões. No Campeonato Nacional, obteve 1º lugar na série 2ª. Livre para com 33 pontos.
- No Campeonato Nacional de 2010, ele foi demitido dos croissants em um belo ato feito antes da Série dos Campeões com todas as honras e no meio de uma multidão total de pessoas que o aplaudiram muito animado, agradeceram por todo o show que o potro sempre entregou nas trilhas. Ele foi demitido como verdadeiro campeão.
O Talento, lenda dos croissants, morreu em Santa Isabel em 25 de fevereiro de 2014.

Ranking:
Foi 1º em 1999-1º em 2000-8º em 2001-1º em 2002-4º em 2003-10º em 2004-8º em 2005-1º em 2007-6º em 2008-5º em 2009 do ranking de potros.

Fotos: arquivos

Nossos Colunistas

Arturo Montory Gajardo

Nací en Cañete provincia de Arauco-Chile en septiembre de 1946, de familia de agricultores y ganaderos. En 1964 mi tío Hernán Anguita Gajardo, estudioso, criador (criadero Paicavi), y dirigente del rodeo escribe artículos en el Anuario de la Asociación de Criadores de Caballares, y me hace participar de ellos, lo que efectuó hasta el año 1970 en que entrega su último artículo. (Hernán Anguita creo el premio Sello de Raza). Ello me hizo aprender muchísimo de caballos, rodeo, arregladores y jinetes antiguos y ya en el año 1966 en una Agenda o libreta pequeña pude escribir y desarrollar en forma ordenada y clasificada por Familias Caballares toda la raza con los ejemplares más importantes, en rodeo, rienda, reproducción, exposiciones, que habían destacado y con premios hasta esa época. No había aun computación, la que llegó en forma masiva a Chile a principios del 1990. Esa agenda la conservo y es la base de todo lo que he escrito después y han pasado 50 años. Luego fui jinete de rodeo, jurado de premio Sello de Raza y Rodeos por muchos años más. En 1990 ya establecido en Santiago, me invitan a participar como columnista en revista Criollos, en octubre de 1991 participo en nacimiento de revista Corraleros escribiendo y dirigiéndola hasta 2005 y luego fundo la revista Tierra de Caballos, la que llevo a Expointer durante algunos años y junto a ello, incentivar a muchos criadores chilenos a conocer y asistir al Freno de Oro, y se produjo un intercambio muy grande y de muy gratos recuerdos para todos. En 2009 fui panelista representando a Chile de “Encuentro de Criadores”, evento que organizaban los criadores gaúchos Joao B. Sa y de Uruguay Luis Pedro Valdés en restorán de la 6° Regiao en Esteio. Me toco en esa ocasión compartir palestra con el famoso Bayard Sarmento Jaques de Jaguarao-Uruguiana, el criador argentino Ramon Maidagan Torres, y el criador uruguayo Diego Landa Dondo, una experiencia inolvidable. En 1997 publique el libro "Caballos Chilenos, Genealogía de una Raza"; en 2000 inicio la colección "Caballos Chilenos, 500 años de Historia", que fueron 9 tomos; en 2012 publico en Internet, están aún vigentes, 5 tomos de libro "Grandes Caballos del Sur de América", que incluye crianzas de Argentina, Brasil, Chile, Uruguay y Paraguay. Me publicaron artículos en Anuario de Brasil y Uruguay. En 2015 publico Tomo I y en 2016 el Tomo II de libro "Reproductores de Pura Raza Chilena", vigente actual. Tengo al aire la web Tierradecaballos.cl; en Facebook web Libro Reproductores de Pura Raza Chilena. He hecho videos en YouTube a nombre de Caballería Araucana TV; criadero Paicavi TV; y Reproductores de Pura Raza Chilena, que van a TV Cable He sido por 13 años columnista de web de Federación del Rodeo y Criadores, Actelemte participo en programa Pelos & Procedencia de radio Tertulia por invitación de mi estimado amigo Rodrigo Alegrete. En diciembre del 2016 fue lanzado el Tomo I de "Historia del Rodeo Chileno", que escribí, y a principio del 2018 se lanza Tomo II y la Historia de la Federación del Rodeo, soy autor de ambos. Tengo un pequeño criadero de caballos chilenos continuando con algunas yeguas antiguas y el nombre de "Paicavi" cuyos ejemplares forman la base del actual del exitoso criadero Peleco, formado por Emilio Lafontaine P. también primo mío, y que ahora pertenece a Rubén Valdebenito Fuica y sus hijos Gustavo y "Panchaco". .