criadores

A razão de viver: o cavalo crioulo Parte II

Data: quinta, 12 de outubro de 2017 - Hora: 14:15

A razão de viver... o cavalo crioulo. Assim terminávamos a primeira parte da história da Cabanha Campana, da família Dos Santos Suñé.

Uma cabanha cheia de história que ainda mesmo contando tudo o que contamos na história anterior, tem muito mais para saber, para descobrir e para se emocionar. Como é o claro exemplo de um cavalo que marcou a história da mesma... Faceiro do Recanto Crioulo. Que surge da impressão causada ao "Mariozinho", ao ver seus movimentos, sua aptidão vaqueira, dando show de função na classificatória que ganhou. Um interesse que o fez convidar a família Sarmento para uma parceria e tentar trazer um pouco do que o cavalo tinha para as suas manadas. Ele realmente tem agregado muito em função. Ainda na busca para o melhoramento genético buscamos outro cavalo filho de BT Lucero, Nochero da Reconquista parceria com Marcelo Cairoli, para agregar requinte e beleza. Nochero e Faceiro entraram praticamente na mesma época na Campana.

Falando um pouco mais sobre o próprio olhar que tem ante sua criação, Mário confessa que ele só tem a agradecer a todas as oportunidades que raça crioula o deu, como jurado, como homem do cavalo e como criador.
Teve o prazer de conhecer várias manadas no Uruguay, Argentina, Chile, Paraguay, e também de julgar diversas exposições nestes países, o que o levou a aprender muito, conhecer e abrir o olhar. Trasladando essa experiência a sua criação tentando melhorar a mesma. Avançando, sempre na busca contínua de um cavalo melhor... mas nunca esquecendo de onde vem as raízes da Campana, pois ele faz questão de ser muito agradecido a tudo que recebeu.

"O día que um criador pensar que está tudo feito, que resta pouco a fazer, acredito que está totalmente equivocado", assim fala Mário, ao se referir que a criação nunca pode parar, tem que estar em continua evolução... é o que tenta fazer e faz questão de passa a seus filhos.

Quanto a comercialização todos os anos organizamos uma oferta especial, diferenciada, que carrega um pouco desta história, destes anos de criação onde tudo foi planejado com carinho e com muita dedicação. Na certeza, de que os animais que saem agregarão em qualquer cabanha, em qualquer criação.
Todos os anos então, na exposição de primavera de Bagé, você encontrará animais diferentes, animais que trazem consigo a história de uma genética de anos. Este ano, dia 13 de outubro, na Rural de Bagé as 21 h.

Mas fechando esta história, como falamos anteriormente, antes de vendas, antes de tudo, uma única razão de ser... "O cavalo crioulo".

Falamos com Mário pra fechar, fazendo um resumo de toda esta história em um sentimento pessoal:

"Sensação de DEVER CUMPRIDO cada vez que coloco a cabeça no travesseiro, para mim família é tudo, e com certeza Deus me abençoou com a que me deu. Olho para os meus filhos... me dá a segurança de continuidade, estão todos envolvidos no processo. Quando olho para minha mulher... só agradecimento. Quando olho para os meus pais... reconhecimento. Quando eu olho para tudo isso... saudade imensa do meu avô. E quando olho pro meu neto... enxergo o meu avô, porque eu quero ser e tenho certeza que sou para o Fernando, o que meu avô foi pra mim".

Por aqui, com estas palavras de satisfação, agradecimento, amor pelo que se faz, e fé em Deus, fechamos a história da Familia Campana.

Texto: Maria Eduarda Sanes
Fotos: Arquivo Cabanha Campana

Nossos Colunistas