Notícias

Entenda por que você precisa do seguro rural, como funciona e como contratar um

Data: terça, 19 de junho de 2018 - Hora: 15:59

Chuva em excesso pode prejudicar uma produção inteira. A falta de pluviosidade também. E ainda que existam soluções como sementes mais resistentes ou cultivo protegido, de acordo com a página do Seguro Rural no site do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), "o clima é o principal fator de risco para a produção rural" e a contratação da apólice desse serviço pode diminuir perdas ao recuperar capital investido nas lavouras.

A tese é compartilhada pelo diretor geral de Riscos Rurais do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, Wady Cury. "O caráter biológico da produção, sua total dependência das condições climáticas e a alta volatilidade dos preços são incertezas inerentes ao negócio e merecem atenção especial quanto à gestão dos riscos envolvidos." Ainda de acordo com Cury, o Brasil tem avançado no número de apólices, saindo de 849, em 2005, para 118.204, em 2014.

No triênio 2016-2018, o CGRS (Comitê Gestor Interministerial do Seguro Rural) aprovou o subsídio de R$ 400 milhões para este ano, R$ 425 milhões para 2017 e R$ 455 milhões para 2018

O Seguro Rural possui oito modalidades:

Seguro Agrícola que cobre a vida da planta desde a emergência até a colheita, contra raios, incêndios, tromba d água, geada e chuvas;
Seguro Pecuário que indeniza o produtor em caso de morte do animal;
Seguro Aquícola para indenização por morte ou outros riscos aos animais aquáticos decorrentes de acidentes ou doenças;
Seguro de Benfeitorias e Produtos Agropecuários (Ramo 30), focado a cobrir perdas e danos aos bens relacionados às atividades agrícola, pecuária, aquícola ou florestal;
Seguro de Penhor Rural (Ramo 62);
Seguro de Florestas;
Seguro de Vida do Produtor Rural (Ramo 98);
Seguro de Cédula do Produto Rural (Ramo 09).
Produtores interessados nas modalidades Agrícola, Pecuária e Florestal, devem conduzir as culturas de acordo com um projeto consistente e com as recomendações de órgãos técnicos como a Embrapa, especialmente em termos de manejo e sanidade, com o objetivo de obter altas produtividades. Para o seguro de patrimônio são pedidas informações sobre o estado de conservação dos bens, a fim de legitimar o interesse do contratante no seguro.

Como funciona

Uma plantação de 50 hectares em uma região onde a produtividade média esperada é de 50 sacas por hectare e o preço da cultura segurada na época da colheita em data de execução pré-fixada na apólice segundo referencial da BM&FBovespa seja R$ 40 por saca, por exemplo, pode-se esperar um faturamento de R$ 100.000. Há casos de seguro em que no caso de perdas por chuva excessiva, tromba d’água ou granizo, o produtor pode garantir um percentual entre 60 e 85% do valor esperado pela venda da safra.

Ainda nesse exemplo, caso o produtor perca produtividade por causa de uma seca e a seguradora tivesse apurado que a produtividade média obtida na área segurada era de 30 sacas por hectare, com preço do produto físico a R$ 35 por saca no mercado físico na data de execução estipulada na apólice. Nessa situação, o faturamento obtido seria de R$ 52.500, considerando variação cambial, pois o preço é referenciado em dólar. A seguradora indenizaria a diferença entre o faturamento obtido e faturamento garantido na apólice, que no exemplo seria de R$ 17.500.

Caso o cliente do seguro sofra redução de produtividade devido a algum evento climático garantido pela apólice, segundo Cury, deve ser comunicada a ocorrência à seguradora, que enviará um perito para apurar as perdas. A redução de preço da cultura não precisa ser comunicada, pois esta variável é analisada automaticamente pela seguradora e indenizada quando for o caso, mesmo que não tenha sido comunicado o sinistro.

O especialista ressalta que independentemente da modalidade de seguro, é fundamental que o produtor rural seja criterioso no fornecimento das informações relacionadas ao bem segurado, não omitindo ou alterando qualquer informação que possa de alguma forma influenciar no risco. Para contratar o seguro, o produtor deve buscar uma das nove seguradoras habilitadas pelo MAPA no Programa de Subvenção:

Allianz Seguros S.A
Companhia de Seguros Aliança do Brasil
Essor Seguros S.A.
Fairfax Brasil Seguros Corporativos
Mapfre Vera Cruz Seguradora
Nobre Seguradora do Brasil S.A.
Porto Seguro Companhia de Seguros Gerais
Sancor Seguros do Brasil S.A.
Swiss Re Corporate Solutions Brasil Seguros

Fonte: AGRISHOW



Venha e participe Conosco!
Deixe seu comentário,
Até a próxima.

Já viu os animais que vendemos? Veja Aqui!